Total de visualizações de página

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

O olhar que mudou a vida de um homem!

“E Pedro disse: Homem, não sei o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo. E, virando-se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou-se da palavra do Senhor, como lhe havia dito: Antes que o galo cante hoje, me negarás, três vezes. E, saindo Pedro, para fora, chorou amargamente”.  (Lucas 22: 60-62).



Quem de nós nunca leu esse texto e se viu a questionar: “Como Pedro conseguiu negar o mestre daquela forma? Como pôde após tantas experiências negá-lo em um momento tão decisivo?”.

É meu caro leitor e irmão, embora nossos corações tendam a se inquietar diante de relatos como esse, devo- lhe dizer que, você e eu, temos muito mais coisas em comum com o “Pedrão” do que imaginamos.

Sei que inúmeras são as lições que podemos extrair desse texto, contudo, o que arde hoje em meu coração e, por isso, quero discorrer sobre, é o OLHAR DE JESUS. Eu não sei quanto a você, mas o dia em que me encontrei com esse olhar inexplicável, a minha vida se transformou. Lembro-me como hoje, era uma noite fria de sábado e eu uma jovem de 16 anos, medrosa, desiludida com a vida, repleta de um vazio e dores internas tão profundas que remédio nenhum parecia curar. Atendi a um convite e no meio da multidão “o olhar de Jesus” me encontrou, assim como Davi, na improbabilidade da minha humanidade, Ele me viu, Ele me amou, Ele me curou com um olhar, apenas um olhar. Aqueles olhos surgiram como um espelho da minha alma e ali eu entendi o quão vazia eu estava, contudo, esse  mesmo olhar me deu condições de compreender o quão cheia e transbordante Ele queria fazer-me nele!

No texto de Lucas vemos a mesma cena. Jesus fora preso, os discípulos estavam entrementes, lá, bem no meio do alvoroço daquele julgamento, no meio do tumulto, no pátio, uma cena impressionante, intrigante, sublime e maravilhosa se desponta: dois olhares que se cruzaram, tal o de um “encarcerado” (que estava internamente livre) com um “livre” (que estava internamente encarcerado). Um que estava vivo prestes a morrer e outro que estava morto (espiritualmente) e prestes a ganhar vida em abundância, pela Graça Redentora. Oh! Que maravilha!

Momentos antes, Pedro, negando Jesus, por três vezes, havia gritado, com toda a sua força: “Não O conheço; não conheço tal Homem!”, mas Jesus respondeu, com o Seu silencioso olhar: “Pedro, eu te conheço e te compreendo, conheço as suas fraquezas e limitações e te perdoo”. Um falando muito, nada disse; outro falando nada, numa linguagem silenciosa e poética, disse tudo.

Diante disso, a minha pergunta para você é: O que o olhar de Jesus tem lhe dito? O que esse olhar tem revelado sobre você?

Ao lermos o texto de Lucas, observaremos que o olhar do Senhor foi seguido pelo “virar do Senhor”, dito de outra forma: Jesus “se virou e olhou para Pedro”. Oh! Que maravilha! O Cristo se voltou para o homem caído, angustiado, aflito e o alcançou, restabelecendo a sua alegria, restaurando a sua paz. Esse olhar, para mim, é um dos maiores sermões existente na Bíblia. Penso que, um filme passou pela cabeça de Pedro – seu chamado, as experiências ao lado de Jesus, a última ceia. Jesus olhou e Pedro se recordou da profecia.

O que Pedro fez após isso? O texto relata que “saindo Pedro para fora, chorou amargamente”. Certamente, quem vivencia esse encontro com o Senhor, tende a “sair para fora”. O discípulo contrito e convencido de sua pequenez sai de seu modo antigo de viver, numa conversão sincera e “chora”, porquanto, o olhar de Jesus comove as entranhas do ser humano, fazendo retomar o rumo da vida até então vivida.

Sabe de uma coisa? Jesus continua nos convidando hoje a cruzar nossos olhos no Dele e contemplarmos o valor que a cruz põe sobre nós. O Cristo continua chamando todos os cansados ao alívio. Ele continua dizendo aos que pensam ser algo: Ei, deixa os meus olhos revelarem quem você é de fato! Esses olhos continuam transmitindo graça, perdão, cura e possibilidade de um recomeço.
Decida hoje permitir que os olhos do Mestre transformem a tua vida, assim como aconteceu com Pedro, comigo e com milhares de homens e mulheres no decorrer da história.


Um abraço e até a próxima!

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Ouça o que o céu diz sobre você!

Oi pessoal, a paz!

Sabe aqueles dias em que a presença de Deus parece nos tomar por completo e o único sentimento que nos resta é o de constrangimento mediante tanto amor? Sabe aqueles dias em que o céu parece descer inteiro só pra te fazer lembrar quem Deus é e quem você é nele? Pois bem, estou em um deles.

Eu não sei se você já passou por isso, mas existem situações nas nossas vidas que parecem ser tão impossíveis que nem sabemos muito bem com que armas lutar. O Espírito Santo falou comigo e me fez relembrar que conquistas envolvem sempre um alto preço, contudo, não precisamos nos preocupar, ele já foi pago com o sangue derramado por nós ali na cruz do calvário, sangue do nosso precioso Jesus!!

As estratégias do maligno são astutas e constantemente tentam roubar de nós a boa porção que o Senhor nos confiou. Quase que invariavelmente, ele nos ataca tentando mostrar quem éramos em nossa natureza corrompida, porém, nossa única alternativa contra ele é demonstrar quem somos através do sangue de Jesus. Pedro nos fez uma afirmação muito valiosa: "Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado". (1 Pe 1:18-19). O profeta Isaías declara que o castigo que nos traz a paz estava sobre Jesus e pelas pisaduras dele fomos sarados. Deus nos olha através de Jesus e satanás sabe muito bem disso, exatamente por isso, ele tenta minar nossos corações, nos fazendo esquecer dessa verdade.

Golias afrontou Davi porque baseou-se em suas condições físicas e humanas, contudo, aquele jovem o venceu muito mais do que com uma pedra e uma funda, o gigante caiu quando Davi decidiu ir contra ele no nome do Senhor e na confiança que existia em seu coração, advinda unicamente dos momentos em que esteve em sua presença como adorador. O exercito filisteu já tinha posto medo nos mais valentes soldados de Israel. Saul e os demais soldados enxergavam a pequenez de Davi; Golias cantou vitória antes do tempo e sucumbiu, porque o que ele não sabia era que o jovem Davi tinha muito mais do que uma armadura feita por mãos humanas, ele tinha uma unção de adoração em seu interior. Davi tinha um cântico de vitória que seu inimigo não conhecia, mas o céu reconhecia, pois, foi gerado lá! Para aquelas pessoas, tratava-se apenas de um jovem, no mínimo, louco, Para Deus, tratava-se de um jovem cheio de unção e conhecimento de que com o Senhor, sempre seremos maioria. Davi aprendeu desde cedo que a unção quebra o julgo! 

Em outro momento, Davi pecou, cobiçou a mulher de seu próximo e feriu princípios, ainda assim, isso não lhe tirou o "título" de homem segundo o coração de Deus, sabe por quê? Deus não o reduziu a um momento; Deus não o reduziu a um ato e o Senhor age da mesma forma conosco! Aí você me pergunta: Então tenho carta branca para pecar, Vanessa? Claro que não!! O que estou falando é que a graça de Deus por meio do sangue de Jesus pode nos libertar de quem somos e não nos permite ser reduzidos a quem éramos. 

O mundo pode ter gritado para Davi: Adúltero! O mundo pode ter gritado para Paulo: Assassino! Os homens podem ter gritado para Moisés: Você é fraco! Raabe pode ter ouvido: Desista, não existe perdão para você! Mas, sabe o que os torna parecidos? Eles não pararam naquilo que os homens falaram a seu respeito, eles ouviram o céu dizer o que realmente importava. Ainda pairava pelo ar, o cheiro suave de incenso que subia aos céus através das canções e do toque da arpa de Davi. O céu reconhecia também a rendição de Paulo, a experiência que Moisés teve, a fidelidade de Raabe. O céu sabia naquela época e ele também sabe hoje, meu amado irmão. O céu reconhece cada uma das tuas orações, Deus vê o teu desejo de mudança, o Senhor sabe quantos "ursos e leões" você tem matado e quantos Golias você tem feito cair no nome do Senhor dos exércitos, por isso, deixa o adversário da tua alma gritar aos quatro ventos o que ele quiser, porque AS PALAVRAS DELE NÃO TE DEFINEM!

Davi poderia ter argumentado com Golias tendo em mente os seus feitos, contudo, veja o que ele falou: "Davi, porém, disse ao filisteu: Tu vens a mim com espada, e com lança, e com escudo; porém eu venho a ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado. Hoje mesmo o Senhor te entregará na minha mão, e ferir-te-ei, e tirar-te-ei a cabeça, e os corpos do arraial dos filisteus darei hoje mesmo às aves do céu e às feras da terra; e toda a terra saberá que há Deus em Israel" (1 Samuel 17:45,46). Davi cheio de sabedoria, não argumentou com o seu inimigo pautado em suas conquistas pessoais, ele foi além, foi no nome daquele que o havia capacitado pra fazer o que ninguém imaginava e ser quem ninguém conhecia. Davi era adorador, era guerreiro, sabia descansar nos pastos do seu pastor.

Eu e você precisamos fazer o mesmo. Pare de ouvir as palavras malditas que pessoas amarguradas de alma têm lançado sobre você. Muitas delas correspondem ao que você era, mas graças a Cristo, representam o que você não é mais. Usurpador? Não mais! Assassino? É passado! Mentiroso? Hoje a verdade de Cristo habita em mim. Egoísta? Já fui! Fraco? Hoje a força de Deus me faz prosseguir! Aleluia!!

Não deixe o inferno soprar quem você não é. Você é filho, é herdeiro, é amado de Deus, feito nova criatura em Cristo Jesus. Outrora, sobre ti operou o espírito de morte, hoje opera a vida.

Que o céu te alcance assim como fui alcançada nessa noite!

Lembre-se: Sonhe, ainda vale a pena esperar e confiar em Deus, aquele que tem sonhos infinitamente maiores que os teus. Na hora certa o gigante vem ao chão e é exposto em sua vergonha.


Um abraço,

Vanessa

sexta-feira, 3 de junho de 2016

A vida é um sopro...


Olá pessoal,

Tudo na paz por aí? Puxa, quanto tempo não passo por aqui!

Hoje é daqueles típicos dias em que eu queria poder desfrutar do que o apóstolo João experimentou ao lado de Jesus. Ah como eu queria recostar-me no ombro do nosso amado Senhor e ouvi-lo falar.

Estive a refletir nesse versículo do capítulo 6 da primeira carta de Paulo a Timóteo: Porque nada trouxemos para este mundo, e manifesto é que nada podemos levar dele” (1 Tm 6:7). Esse parece ser daqueles versículos que por mais que conheçamos na teoria, vez ou outra, deixamos de viver na prática.

Nosso mundo está doente, nossa alma também está! Os noticiários insistem em relatar a obstinação de nossos corações em buscar nossos próprios interesses, custe o que custar, doa a quem doer. Corremos tanto em busca do que a traça pode corroer que não nos damos conta de que nós também ficamos pelo caminho; incompletos, insatisfeitos, perdendo o que realmente tem valor, deixando para segundo plano aquilo, ou melhor, Aquele que não se acabará quando tudo isso findar (Jesus).

O fato é que, ficamos em meio ao caminho quando deixamos de sonhar, quando entregamos o controle de nossas vidas, projetos, chamados e ministério nas mãos daqueles que não deveriam ter poder sobre eles. Ficamos na beira do caminho, cegos, assim como Bartimeu um dia esteve, por nos esquecermos de quem somos n'Ele.

Estamos em meio à era das conveniências. Era de gente vazia, mas pensamento acelerado; desprovida de afeto, mas repleta de teorias. Era da superficialidade, de homens e mulheres esgotados mediante as inúmeras exigências da síndrome megalomaníaca de ter que agradar a tudo e a todos. Vamos combinar uma coisa? Façamos um favor para nós e para o nosso próximo... Paremos de viver para “agradar a plateia” e sigamos firmes mediante o que Deus nos designou para viver. Nossa vida é um sopro e nem sempre a voz da plateia corresponde a vontade de Deus. Por vezes, o Cristo ainda será crucificado e Barrabás será solto, contudo, as credenciais daqueles que foram gerados no céu, jamais poderão ser manchadas pelos que são apenas da terra, afinal, nunca será contra carne ou sangue a nossa luta. Nossa “patente espiritual” foi estabelecida há mais de dois mil anos atrás, por meio de um sangue puro e sem mácula alguma.

Pare e pense: Há quanto tempo você não desacelera e consegue prestar atenção e valorizar as coisas simples da vida? Há quanto tempo não para e abraça seu filho bem forte ou faz uma ligação inesperada para alguém só para dizer: “Oi, liguei só pra dizer que sinto sua falta e te amo muito”? Quanto tempo faz que você não se permite tomar banho de chuva, rir até a barriga doer, apreciar o cheirinho de bolo fresquinho que vem da cozinha da sua mãe? Qual foi a última vez em que se permitiu observar a soberania de Deus através da natureza, do canto dos pássaros, da beleza das flores? Quanto tempo faz, meu irmão, que você não encontra alegria e contentamento nas coisas simples da vida?

Penso que, alguns dos nossos maiores erros e enganos consistem em achar que nosso contentamento voltará quando o filho chegar, quando a faculdade acabar, quando aquela promoção tão esperada no trabalho acontecer. Engana-se quem pensa que a alegria voltará quando o excesso de quilos se for ou quando a casa própria for conquistada. Carro, sucesso, prestígio, dinheiro podem até ser benção, mas não se engane, são palha, não subsistirão para sempre! A alegria volta quando Cristo volta para o lugar dele dentro de nós.

Aproveite hoje o fôlego que Deus te concedeu. VIVA, não apenas sobreviva! Há tempo para todo propósito debaixo do céu, acredite, sempre é tempo de reajustar a rota, aprender com Jesus, lutar com a força dele, com as armas dele. Sempre é tempo de receber fôlego novo para prosseguir, para semear na eternidade.

Não se esqueça, em meio aos furacões da vida, vez por outra podemos ouvir a voz dele, mansa e suave, nos conduzindo e guiando, dizendo: “Ei filho, eu sou contigo, não pare!”

Que o senhor te abençoe e fortaleça.


Em Cristo,


Vanessa, filha amada.

terça-feira, 8 de março de 2016

Mulher: Seu valor e importância excedem o de finas joias

A Bíblia é especialmente linda e nos revela a forma graciosa com que Deus criou e enxerga as mulheres. Em suas páginas, podemos observa-las ocupando posições estratégicas de influência e de liderança, sendo colocadas meticulosamente no lugar certo e na hora oportuna, explicitando como Deus valorizou a figura da mulher em todos os tempos. O Senhor nos vestiu de força e de dignidade, e nos investiu de autoridade diante de diversas situações conciliando obediência e submissão.
Deus, em seu gracioso plano de salvação, envolveu mulheres das mais variadas classes, em suas mais variadas ocupações, numa época em que pouco ou nenhum valor se dava a elas, e assegurou que seus nomes e seus feitos ficassem registrados como testemunho para as próximas gerações. 
Observamos, ainda hoje, “Anas”, inseridas no contexto eclesiástico, vivendo suas angústias, mas, exercitando sua fé. O que falar da geração de “Déboras”, que assumem posições de liderança e tomam atitudes capazes de mudar a vida de muitas pessoas? São inúmeras as “Esters”, tecendo um pano de fundo político, salvando vidas, lutando por sua família, seu povo, sua gente. Há também a geração de “Saras”, mulheres que são chamadas para crer em milagres, que testemunham a quebra de diagnósticos médicos, onde o que se pensava ser o fim passa a ser apenas mais um capítulo de suas histórias. Existe a geração de “Martas”, prontas para servir, e ainda, as “Marias”, prontas para ouvir.
A verdade é que, dia após dia, no descortinar da vida cotidiana, nos deparamos com mulheres, muralhas, auxiliadoras, mães, profetizas, rainhas. Mulheres jovens, outras não tão jovens assim. Mulheres com pouca ou nenhuma experiência. Mulheres sofredoras, que choram, estéreis. Mulheres sábias, mulheres simples. Mulheres importantes, mulheres que não tiveram seus nomes revelados. Mulheres amigas, formosas. Mulheres prontas a ofertar suas últimas moedas ou seu mais caro perfume, sempre o melhor aroma. Algumas tiveram o privilégio de serem contadas com os discípulos. Algumas puderam testemunhar a maravilhosa visão do túmulo vazio.
Mulheres de ontem e de hoje... Envolvidas com a obra do Senhor, Mulheres realmente comprometidas com o Senhor da obra.
E você, em qual geração se encaixa? Qual o teu “perfil” de mulher? Como você tem se visto?
Minha amada irmã, a nossa sociedade deturpa o papel, posição e identidade da mulher contemporânea, insistindo em nos fazer acreditar que nosso valor é calculado pela formosura de nossos corpos, ou pela beleza de nossos cabelos. Muitos são os abusos, físicos, emocionais, psicológicos que temos sofrido e cada uma dessas situações surgem como “ladrões de nossa alegria e identidade”. Mas, sabe de uma coisa? Deus te criou como princesa dele, mais do que isso, te transformou em sua amada noiva e em sua Palavra ele garante que teu valor excede em muito o valor de joias preciosas. Não deixe o mundo te fazer esquecer tua real natureza e identidade.
Deus diz que você é forte, é amada, é menina dos olhos dele. Você é da geração que conhece Jesus e que encontra seu valor nos olhos do seu amado!
Nesse dia em que comemoramos o valor da mulher, deixe Jesus te revelar mais uma vez o quanto a sua vida vale e é preciosa.
No amor de Cristo,

Até a próxima.

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Trazendo à memória o que pode nos dar esperança!


Fala pessoal, tudo certo por aí?

O ano iniciou e já estamos no dia 05. Impressionante como o tempo passa rápido e se não prestarmos atenção, a nossa vida também passa e com ela vão sonhos, projetos, aspirações... que se perderam no tempo, que se perderam em meio à loucura do dia a dia.

Hoje eu tive uma experiência muito bacana e é sobre isso que quero escrever. 

Tive que voltar à minha antiga faculdade para resolver algumas pendências relacionadas ao meu diploma, e nossa, como o Espírito Santo falou ao meu coração. Existem momentos não planejados por nós mas que parecem ter sido minuciosamente projetados lá no céu e o dia de hoje foi um desses... Por isso, esteja sempre sensível à voz de Deus, pois ela pode ser suave como uma brisa.

Eu não fazia o caminho da faculdade há mais de 2 anos e ao descer na estação de metrô que me acompanhou pelos 5 longos anos de minha graduação, o coração parecia querer explodir, como que em fração de segundos tudo o que vivi antes e durante minha formação parecia ter saltado do passado e ganhado cor no meu presente. Desci a Rua São Joaquim aqui no bairro da Liberdade em São Paulo, chinelo de dedo, vento nos cabelos e no rosto as lágrimas escorriam espontaneamente. Lembrei da primeira vez em que desci naquela estação para fazer minha matrícula do curso de Psicologia após conseguir a bolsa integral para os meus 5 anos de estudos; lembrei da alegria e frio na barriga que senti no primeiro dia de aula; lembrei das vezes em que desci aquela rua atrasada para uma prova, um estágio, uma supervisão; lembrei dos meus amigos de turma; lembrei de cada paciente que atendi e de suas histórias que guardo com tanto respeito e me fizeram, sem dúvidas, mais humana; passei em frente ao "tio" do pastel e lembrei de quantas reuniões de amigos tivemos ali... Lembrei das vezes em que me senti cansada, exausta e tive vontade de parar no meio do caminho mas prossegui por acreditar que Deus havia me concedido aquela oportunidade. Quase que instantaneamente uma voz doce parecia sussurrar em meus ouvidos: "Filha, você havia se esquecido, não é?". Era o precioso amigo Espírito Santo, me conduzindo a um caminho onde eu podia relembrar o cuidado e amor que Ele mesmo derramou sobre mim durante aquele tempo! As lágrimas rolaram mais uma vez, balancei a cabeça como que concordando com o que Ele acabara de me dizer e sorri, sorri tão grande que as pessoas passavam e me olhavam na rua, devem ter pensado que eu estava "maluca", e não é que estão certos? Não sou muito normal mesmo... risos.

Por que estou falando isso? Porque a Bíblia nos traz um ensinamento precioso: "Quero trazer a memória o que me pode dar esperança". (Lamentações 3:21)Esse versículo fazia todo o sentido para mim naquele momento. Os temores que rondavam o meu coração a respeito de minha vida profissional, familiar, ministerial, deram lugar à uma esperança inexplicável porque eu me recordei dos feitos do Senhor na minha vida e pude descansar crendo que o Deus que operou no passado é o mesmo que opera no presente, então, eu só preciso descansar!!

E você, como iniciou seu ano? Com esperança? Desanimado? Com lutas? Adormecido?

Eu sei que as perspectivas da sociedade não são as mais animadoras ultimamente, mas precisamos nos recordar que nosso socorro vem do alto, não vem do nosso governo, não vem de nossa família, não está em uma condição financeira favorável ou não... Deus é a nossa torre forte todo o tempo! Pare cinco minutos agora e tente se recordar de momentos difíceis que você vivenciou e conseguiu vencer, e mais, lembre-se dos momentos em que tem certeza que só saiu vitorioso porque Deus foi o seu ajudador! São muitos, não é?

Inicie esse ano agradecendo. Talvez, assim como eu, você tenha se esquecido de algumas bençãos que Deus te concedeu, mas ainda há tempo de recordar e começar 2016 repleto de esperança, trazendo à memória as provas de que Deus é Senhor sobre a sua vida!

Que o Senhor te abençoe e anime.

Em Cristo,

Nessa



domingo, 8 de novembro de 2015

Lo-debar, nunca mais!!


Olá pessoal do blog, faz tempo que não passo por aqui... hihi. 
Os dias têm sido corridos, mas gostaria de compartilhar com vocês uma palavra que ministrei na ultima vigília da minha igreja e que tem ardido tanto no meu coração. Aperte os cintos, pegue sua Bíblia e venha comigo em mais essa aventura =)
O texto base que vamos utilizar é  2º Samuel 9:1-7, que diz: "E disse Davi: Há ainda alguém que tenha ficado da casa de Saul, para que lhe faça benevolência por amor de Jônatas? E havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba; e o chamaram à presença de Davi. Disse-lhe o rei: És tu Ziba? E ele disse: Servo teu. E disse o rei: Não há ainda alguém da casa de Saul para que eu use com ele da benevolência de Deus? Então disse Ziba ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés. E disse-lhe o rei: Onde está? E disse Ziba ao rei: Eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar. Então mandou o rei Davi, e o tomou da casa de Maquir, filho de Amiel, de Lo-Debar. E Mefibosete, filho de Jônatas, o filho de Saul, veio a Davi, e se prostrou com o rosto por terra e inclinou-se; e disse Davi: Mefibosete! E ele disse: Eis aqui teu servo. E disse-lhe Davi: Não temas, porque decerto usarei contigo de benevolência por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa
Pode ser que você está aí se perguntando: "Quem era Mefibosete?". Vejamos, a Bíblia nos ensina que ele era filho de Jônatas e neto de Saul. O livro de 2ª Samuel nos relata que houve uma guerra sangrenta no monte Gilboa, entre os israelitas e os filisteus, onde Saul (avô de Mefibosete) e seus três filhos foram mortos. Naquela época, Mefibosete ainda era novo, era pequeno. Quando essa notícia chegou em Jizreel, a ama que cuidava de Mefibosete pegou ele para fugir e ao fugir, ela tropeçou e caiu e o menino ficou aleijado dos dois pés e ele acabou indo para Lo-debar. Agora pense comigo, esse menino tinha apenas 5 anos e se viu perdendo tudo o que outrora possuía. Ele perdeu toda sua família, o conforto do palácio, o direito de sucessão no trono de Israel. Perdeu sonhos, dignidade, perdeu o amor que recebia... Quanta tragédia em um único momento, Mefibosete passou da mesa do Rei para uma terra estranha...

Considerando esse contexto, eu entendo nesse texto que Lo-debar é terra da agonia, de desprezo, de dor, de solidão, de lutas. Quantos de nós não se encontram em Lo-Debar nesse exato momento? Quantos de nós não tem visto tudo desmoronar, sonhos ruir?

Em algumas pesquisas no google eu descobri algumas coisas sobre Lo-debar:

1 - O nome Lo-debar significa "sem pasto".
2 - A terra de Lo-debar era uma terra seca.
3 - Em Lo-debar havia miséria, fome.
4 - Existiam duas classes de pessoas que moravam e Lo-debar: mendigos e doentes.

Que tristeza viver em um lugar assim, como lidar com tamanha tragédia? Quando Mefibosete estava bem, ele ficava no palácio, mas quando ele ficou aleijado, jogaram ele pra Lo-debar. Contudo, em 1ª Samuel capitulo 9, nós vemos a história do menino dar uma reviravolta, pois quando o rei Davi assume o trono, uma das primeiras coisas que ele faz é se lembrar da aliança que ele tinha feito com Jônatas, pai do menino e seu amigo do peito!

Davi então pergunta a Ziba, se havia alguém da casa de Saul para que ele beneficiasse. Ziba então falou: "Ora existe um ainda, que é filho de Jônatas, mas ele é aleijado de ambos os pés". "Onde está ele" disse Davi. "Está em Lo-debar" disse Ziba. Nessa parte do texto, eu aprendo uma coisa: enquanto você está passando por essa prova, por essa luta, tem alguém citando o seu nome lá na sala do trono..!! Assim Deus faz conosco, por amor a Jesus, que morreu por nossos pecados, Deus nos chama de Lo-debar, nos chama daquele mundinho que criamos para nos esconder das circunstâncias adversas da vida e acabamos nos acostumando à miséria, autocomiseração, mediocridade, inércia, medo, frustração, falta de perspectiva. Entenda uma coisa, meu irmão: O teu tempo de Lo-debar está chegando ao fim!!

Lo-Debar é o lugar onde alguns estão morando. Lo-Debar aponta para o desânimo, para a cidade do desespero, para a ponte entre a vida e a morte, para a caverna da miséria, da falta de perspectiva; para a vida como fonte seca, para um barco a deriva, para uma noite sem lua, para um verão sem calor. Em contrapartida, Mefibosete é a figura de muitos de nós, ele aponta para aqueles que olham para o seu passado, questionam o seu presente e já sentenciaram seu futuro. São aqueles que perguntam: Quem eu fui, quem eu sou? Onde estive, onde estou? São aqueles que lamentam seu histórico de vida e vivem a margem de sucessivas desgraças e não conseguem ser felizes. Mas dou graças ao Senhor que nessa história não existem apenas as figuras de Mefibosete e Lo-debar, não!! Nessa história ainda temos a figura de um rei, Davi! Nesse contexto, Davi aponta para Deus, que não se esqueceu de você e dá ordem para que te tirem de Lo-Debar. Ainda que as outras pessoas enxerguem apenas as limitações da tua atual situação como Ziba fez ao descrever Mefibosete como "aleijado", o Senhor Deus olha para você e enxerga a identidade que te foi entregue por meio do sangue de Jesus. Aleluia!!

Quando o diabo se levantar contra você, lembre a ele de quem você é filho! O tempo de andar encurvado acabou, de se sentir rejeitado acabou! Você precisa compreender que a sua condição não altera sua posição em Deus.

Olha o que Paulo nos diz a respeito disso: "E o mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados". (Romanos 8:16,17)

Mude sua condição hoje!! Dê um basta em toda incredulidade, não aceite as sentenças de Ziba, existe um Rei que se lembra das promessas que foram lançadas sobre a sua vida. Encha seu coração de fé e esperança, acene para Lo-Debar e diga: “Lo-Debar, nunca mais. Jerusalém aí vou eu... porque o lugar dos filhos é à mesa com seu Pai!!

Lo-debar não é seu lugar, o rei mandou te chamar... Jerusalém é seu destino, meu irmão!!


Em Cristo,

Nessa

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Ainda que...

Oi pessoal, a paz do Senhor Jesus!

Hoje quero falar de uma passagem que a grande maioria de nós conhece e já ouviu diversas ministrações a respeito dela. Estou falando do capítulo 3 do livro do profeta Habacuque, especificamente os versos 17 e 18.

"Porquanto, ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas, todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação"

Não é segredo para ninguém o momento complicado que todos nós estamos vivendo no Brasil. Momento de incertezas e temores. Dias onde o desemprego tem batido na porta de milhares de famílias, desconstruindo sonhos, trazendo dúvidas, potencializando a descrença de dias melhores.

Foi assim também nos dias de Habacuque, o povo havia pecado e o juízo de Deus estava se manifestando sobre aquela nação. O profeta orou algumas vezes pedindo a misericórdia de Deus e recebeu como resposta do Senhor: "Habacuque, se prepare porque eu farei a situação ficar pior do que está!!" (paráfrase minha). Quem gostaria de receber uma resposta assim? Quem gostaria de estar diante de uma terrível situação como essa? Por certo, se pudéssemos escolher, optaríamos por um outro cenário para estarmos inseridos.

Eu não sei quanto a você, mas eu já vivi alguns momentos difíceis na minha caminhada cristã. Dias em que o céu parece ser de bronze, momentos em que você ora, clama, chora, grita e parece que nada muda a sua situação. Dias em que o Espírito de Deus começa a desnudar todo o teu interior e traz para fora teus traumas, complexos, medos, incertezas, culpas... É assim no "hospital" onde o médico da alma é Jesus, o que está podre começa a ser posto para fora e ainda que tentemos parar no meio do caminho, ainda que nossa alma tente desfalecer e parar, Ele nos faz seguir, arranca os curativos, expõe as feridas, nos mostra que antes de melhorar, ainda vai "piorar" um pouquinho, porque mexer com machucados dói, arde, nos faz sentir vergonha... 

No hospital da vida nos debatemos, lutamos contra, queremos "cobrir novamente nossas vergonhas", pegar de volta nossos curativos, afinal, "é nosso direito", mas Jesus, sábio e misericordioso como é, nos conduz ao caminho onde nossas feridas não são apenas cobertas, antes, apagadas. O Cristo não é um paliativo para as nossas vidas, Ele é o próprio remédio, Ele é a CURA! Aleluia!!

Quando entendemos isso, ainda que estejamos passando por dias difíceis, aprendemos a confiar na fidedignidade de Deus como Habacuque o fez. 

Eu estou vivendo dias escuros, sem respostas, dias em que o céu parece ter silenciado muitas coisas a meu respeito, mas quer saber? Parei de me "debater", parei de querer retomar "meus curativos"... Parei!! Decidi ser como Habacuque, e no meio da minha falta de entendimento do todo, tenho declarado a bondade e fidelidade do Senhor sobre a minha vida... "Ainda que eu não compreenda minha atual situação, ainda que meus sonhos pareçam se desmoronar, ainda que a roda de escarnecedores se levante e trame todo tipo de mentiras a meu respeito, ainda que eu perca noites de sono e sinta meu organismo se desajustar, ainda que pensamentos terríveis me assombrem e tentem me paralisar, eu CONTINUAREI firme do Senhor, que é a Rocha mais alta do que eu e onde meus pés estão firmados, por isso, não vacilarei. É Ele que me faz andar como a corça, é Ele que guia-me a águas tranquilas, eu exultarei no Deus que me salvou e redimiu porque Ele é digno de confiança!!"

Eu não sei até quando teremos que enfrentar determinadas situações, mas uma coisa eu sei: Deus é fiel independentemente da situação! O Senhor não falha, não muda, não tosqueneja... O guarda de Israel permanece no comando.

Escolha extrair uma canção de gratidão ao Senhor em meio aos seus temores e dúvidas. Escolha entronizar Jesus acima dos seus problemas. Escolha louvá-lo ainda que sua vida não esteja ainda da maneira como idealizou... Eu decidi fazer de Jesus verdadeiramente o centro da minha vida. Não é o meu dinheiro, minha posição social, meus amigos, família ou as noites de sono dormidas ou não que determinam meu amor e gratidão a Deus... Eu o amo porque Ele é meu Senhor e Rei nos dias alegres e também nos tristes. Deus é meu Senhor quando estou com o bolso cheio de dinheiro ou quando me faltam recursos para o trivial. Ele é soberano sobre a noite, sobre o dia, sobre as estações do ano... Ele é Deus e ponto final.

Não pare nos "ainda que" da vida, dê um passo além, "vire a mesa", dê honra a Deus em todo tempo e verás o céu se manifestar na terra sobre a tua vida.

O Senhor te abençoe

Até a próxima

Nessa